segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

TREZENTOS E SESSENTA E CINCO DIAS

Trezentos e sessenta e cinco dias . Entra Janeiro , IDEALIZO O SONHO entre estouros de fogos de artifícios e de champanhe. Roupas Brancas e oferendas jogadas no mar. Fevereiro BUSCO A ALEGRIA, no maior bloco do mundo frevando nas ruas do bairro de Säo José e nas ladeiras de Olinda. Em março QUERO A FÉ que vem de uma Nova Jerusalém , muito peixe , muito vinho e malhar Judas nos postes das avenidas escuras das cidades. Abril chega cheia de mentiras , brincadeiras que a infância não apagou , ESPERO A ESPERANÇA de ver o verde que os Índios tanto preservaram , e lembro de Cabral descobrindo o país e Tiradentes sendo enforcado. Chega maio e CONSTRUO A PAZ , nos braços de todas as mães e no encanto das noivas , mas tenho que DESEJAR O AMOR , nas adivinhações de Santo Antonio , São João e São Pedro e que chegou Junho com as quadrilhas , os fogos e as lembranças de que já se passaram seis meses, em tão poucas linhas.
Entra Julho e o tempo é de férias e de festas. VIVENCIO O RESPEITO dos que descansam porque estudaram muito, correram muito , trabalharam muito. Em agosto ALCANÇO O AFETO no abraço forte do pai , esteio da família e sustentação do amor. Chega Setembro trazendo a Independência que Pedro nos deu ao chegar as margens do Ipiranga. SINTO A SERENIDADE e a presença dos raios de sol que chegam preparando o verão. Em outubro REALIZO O EQUILÍBRIO com a força da Padroeira Aparecida e a inocência da Infância. O mês é doce , é mel , é criança. Novembro AGRADEÇO A HARMONIA trazida por Todos os Santos na hora de reencontrar quem já partiu , quem nos deixou a saudade e a dor. Mas , a festa é da nação, da bandeira , da república , da pátria verdadeira. Dezembro tem natal , papai noel , cristo, renovação, amigo secreto , confraternização. FESTEJO A FELICIDADE de Ter vivido mais um ano e me preparo para encontrar Janeiro , de novo.
Trezentos e sessenta e cinco dias , em tão poucas linhas. Me pergunto se a vida é só isso e lembro do recheio. Acordar cedo , trabalhar , voltar para casa , contas a pagar , tão pouco a receber e tanto por fazer que nem dá para perceber.
A vida se guia e está estampada na novela das oito , e nos jornais nus e crus do horário nobre. É a vida que se transforma em Laços de família , batismo, primeira comunhão, casamento e extrema unção. E vamos vendo os cabelos perderem a cor , as rugas invadirem o nosso rosto . passamos da Infância para a Terceira idade , sem perder as baladas da adolescência e as pancadas da vida adulta. Trezentos e sessenta e cinco dias, quarenta, cinqüenta , sessenta, setenta vezes , para tudo terminar na previdência . e tudo isso em tão poucas linhas.

Um comentário:

Lima disse...

Pois é meu querido, a fome de Cronos come com silêncio a poeira de nossos dias, de 365 em 365 não nos apercebemos entre festas e rotinas. E vc sintetizou muito bem esse fúria. Abração.